24 maio 2017

Com amigas assim...


Hora de almoço e antes de sair, vou à casa de banho. E é aí que reparo que tenho um rasgão nas calças, no rabo! Nem queria acreditar! Puxei a camisola para baixo o mais que consegui e fui ao lugar buscar o meu kit de costura SOS. Voltei para a casa de banho e remediei o melhor que pude.

Quando cheguei ao elevador, desculpei-me com a minha amiga pela demora e expliquei o que é que me tinha retido. É quando ela me diz: "Ah, sim, eu reparei nisso de manhã quando bebemos café. Não te disse logo porque estava lá mais gente e depois esqueci-me." Ou seja, andei a manhã toda a passear-me pelo trabalho com um bocado do rabo à mostra... é esperar que ninguém mais tenha reparado...

[Lembrei-me desta história quando li este post da Evy]

23 maio 2017

Inspirações lá para casa

Quando penso em minha casa, dou conta que tenho mais tendência para as cores frias: verdes e azuis... mas tenho alguns apontamentos mais quentes: o laranja que saltita na minha cozinha e o cor-de-rosa que vou pondo no meu crafty room. Hoje reuni um conjunto de peças que conjugam cores quentes: amarelo, laranja e rosa.



Não há como ir experimentando opções e percebendo o que gostamos de ver. Embora seja uma conjugação de cores que eu gosto, não é a minha cara em termos de decoração. Mas cada um com o seu gosto e há espaço para todos!



__________
Inspirações passadas:

22 maio 2017

Relativizar


Gasto tanto dinheiro em materiais para artesanato...
Mas continua a ser bem menos do que gastaria se precisasse de terapia.

Esta forma de manter a sanidade continua a ser a mais barata (e divertida!).

18 maio 2017

Cat em passeio: Barcelona [4/4]

Último dia em Barcelona. As pernas e os pés já acusavam algum cansaço mas o entusiasmo camuflava tudo! Feito o check-out do apartamento, rumámos mais uma vez à Praça da Catalunha para deixar as malas num cacifo até ao final do dia. Apanhámos o metro até Lesseps e lá um autocarro até perto do Park Güell. Também para aqui, comprámos os bilhetes online mas chegados lá não havia fila para entrar. Ficámos fascinados! O Gaudi era mesmo muito à frente! As estruturas tão grandiosas mas ao mesmo tempo tudo tão harmonioso... E a vista lá de cima também é soberba!




Da parte da tarde, ainda houve tempo para uma visita ao Museu Picasso. Queríamos ter comprado os bilhetes online mas não conseguimos prever a que horas lá estaríamos. Para além disso nem toda a gente estava certa de querer entrar por isso não arriscámos. Mas aconselho vivamente a comprarem os bilhetes antes de ir porque esperámos cerca de 45 minutos para entrar! Foi muito cansativo! O Museu vale a pena. Tem muitas obras e uma explicação das "eras" representadas. Ver as pinturas que ele fazia com 14/15 anos é de deixar o queixo no chão! Era mesmo genial!

O que é bom acaba depressa, e era hora de voltar a Lisboa.

Foi uma viagem óptima! Não só porque a cidade é muito bonita mas pelo que significou: foi a primeira viagem dos meus pais! E o grupo não podia ter sido melhor, sempre bem dispostos! A repetir, sem dúvida!

17 maio 2017

Cat em passeio: Barcelona [3/4]

Começámos o nosso terceiro dia rumando ao Passeig de Gràcia. Uma rua comprida, ladeada de árvores e passeios largos e cheia de comércio de luxo e casas absolutamente deslumbrantes! As mais fantásticas foram a Casa Batlló e a Casa Milá de Gaudi. Realmente este arquitecto era de outro mundo, com uma traça tão própria e tão diferente de tudo!



Sugimos até à Avenida Diagonal que será das maiores da cidade (com cerca de 11km de comprimento) e que corta a cidade ao meio, obliquamente. Não percorremos a avenida toda para não perdermos a energia para o resto do dia e apanhámos o metro rumo à Praça da Catalunha, uma das praças mais importantes de Barcelona. Dessa praça nasce La Rambla, uma rua cheia de vida que vai da Praça da Catalunha ao Porto Velho! É uma rua larga, com animação, comércio e muitas pessoas! Sensivelmente a meio desta rua, encontramos o mercado de São José, mais conhecido como La Boqueria, onde optámos por almoçar. Neste mercado tudo tem óptimo aspecto! Vende-se de carne a chocolate, passando por frutas, vegetais, enchidos e especiarias. E é difícil resistir à oferta porque mesmo os produtos mais banais são dispostos com arte e temos vontade de trazer tudo!


Continuámos a descer a Rambla até chegarmos ao Monumento a Colombo, uma escultura em homenagem a Cristíovão Colombo. Daí seguimos fomos seguindo a costa, sempre à beira mar, aproveitando o dia lindo de sol, até chegarmos à Barceloneta. Trata-se de um antigo bairro de pescadores. Actualmente pareceu-nos tratar-se de um bairro social, perto tanto da parte mais turística de Barcelona como das praias mas, ao mesmo tempo, tão afastada porque o ambiente que lá encontrámos era bem diferente do resto que visitámos.


Daqui à praia foi um pulinho. Depois disso, voltámos ao Bairro Gótico por onde passeámos e aproveitámos para algumas compras de turismo. Adorámos andar por lá, nas ruas apertadinhas e cheias de lojas e recantos. Por lá vimos a Catedral de Barcelona, em toda a sua imponência e a Basílica de Santa Maria do Mar, também muito bonita. Pelas ruas encontrámos artistas vários a tentar ganhar algum dinheiro: dança, canto, ilusão... vale tudo! E para quem passeia é fantástico ter uma surpresa a cada virar!

O que é bom acaba depressa e o penúltimo dia esgotou-se com um passeio à Torre Agbar. Esta torre destaca-se na silhueta de Barcelona pela sua altura e formato invulgar. Mas à noite, iluminada, ainda chama mais a atenção!


16 maio 2017

Cat em passeio: Barcelona [2/4]

Domingo foi o nosso segundo dia em Barcelona. Uma coisa importante a dizer desde já é que já muito comércio fechado! Felizmente já sabíamos disso e tratámos de ir ao supermercado no Sábado para nos abastecer. Ainda assim, não é preciso desesperar porque há sempre lojas de conveniência abertas (com menos diversidade e mais caras).

Começámos o dia rumando até ao Camp Nou [metro: Collblanc]. Com quatro homens no grupo era paragem obrigatória! Felizmente para mim, ninguém teve interesse em pagar os 25€ para a visita ao estádio. Se a maioria quisesse ir eu também visitava mas sem fazer questão. Já visitei o do Real Madrid, quando lá fui, e não morro de amores pelo Barcelona. Vimos o estádio por fora, tirámos umas fotografias da praxe e ficámos despachados.



O resto do dia estava planeado para a zona do Montjuïc. Fomos até ao Para·lel de metro e lá apanhámos o Funicular. Também é possível apanhar um teleférico e deve ser uma travessia gira mas nós acabámos por optar pelo Funicular, já incluído no bilhete. Finalmente, apanhámos um autocarro até ao Castelo de Montjuïc. A nossa ideia foi subir de transportes para descer a pé (para baixo, todos os santos ajudam!).



Íamos preparados de casa e fizemos um piquenique. a zona é muito bonita, com muita vegetação, árvores e flores e pudemos apreciar alguma tranquilidade enquanto ganhámos energias para continuar o nosso passeio. A descido do Montjuïc foi agradável e pautada por miradouros com vistas privilegiadas sobre a cidade e sobre a marina.


A única parte menos agradável foi mesmo quando nos apercebemos que nos tínhamos enganado no caminho e tivemos de subir uma escadaria imensa para voltar ao nosso percurso. Este revés fez com que chegássemos à Fundação Joan Miró mais tarde do que tínhamos planeado e com pouco tempo para visitar o museu... acabámos por não entrar.
Seguimos rumos ao Palácio Nacional, encontrando pelo caminho o Estádio Olímpico e o Anel Olímpico. No Palácio Nacional aproveitámos para descansar, no topo da escadaria. É aqui que fica o Museu Nacional de Arte da Catalunha onde também não entrámos. Descemos a imponente escadaria que desagua na Praça de Espanha, passando pela Fonte Mágica.


O nosso passeio terminou no Bairro Gótico por onde passeámos sem destino definido.
/*pinterest hover button~